Ponte de Lima, terra rica de tradições

Uma vila cheia de tradições, Ponte de Lima é um encanto para quem lá passa. Com pessoas hospitaleiras, gastronomia saborosa, locais deslumbrantes, monumentos históricos, tradições que remontam ao passado e uma beleza incontornável, muitos são os motivos para se deixar apaixonar por esta terra. A Revista RUA convida-o a visitar uma das mais antigas vilas de Portugal e ficar a conhecer todos os seus encantos.

Miguel Estima

©Miguel Estima

Deixamos alguns exemplos:

Carmo’s Boutique Hotel

O Carmo’s Boutique Hotel destaca-se pelo espaço luxuoso onde o passado, a modernidade e as raízes culturais convivem em perfeita harmonia. Este espaço prima pela tradição, a história, o requinte e o respeito pelo ambiente. O hotel tem quartos românticos e requintados e tendas suites glamorosas, uma piscina exterior, um restaurante que serve comida tradicional portuguesa no terraço e um spa com tratamentos de aromaterapia, todos os detalhes para se sentir uma verdadeira estrela.

Neste hotel existe uma variedade de programas à escolha, não só no spa, mas também inúmeras atividades ao ar livre, como um piquenique nas vinhas ou junto ao rio Lima.

Paço de Calheiros

Esta propriedade, que conta com uma vista magnífica sobre o Vale do Lima, é um Solar do século XVIII localizado nas encostas circundantes do rio. Rodeado de jardins classificados como históricos e de vinhas da casta Loureiro (vinho verde produzido na casa), esta casa senhorial é habitada pela família Calheiros há 700 anos. O reconhecido Conde de Calheiros, Francisco de Calheiros, é o anfitrião da casa.

Arc my Otel

Com uma localização e vista privilegiada, o Arc My Hotel proporciona aos visitantes uma estadia tranquila com vistas únicas sobre o Rio Lima e a Ponte Romana. Divide-se por duas casas totalmente recuperadas, ambas na Praça da Alegria, e está localizado a 300 metros do Museu do Brinquedo, do Museu Rural e dos jardins municipais que beneficiam de um parque infantil.

Paço de Vitorino

O Paço de Vitorino tem a sua origem no século XVI tendo sido completamente reconstruído no século XVIII e agora, recuperado, abre portas aos visitantes para contar as suas histórias. Em plena margem limiana, esta casa de família abre-se ao turismo oferecendo ambientes de campo, descontraídos e sofisticados, onde reflete a essência de uma cultura reservada e a sua monumentalidade é dada por uma beleza e calma inexplicável.

Cerquido Village & Spa

Com uma vista deslumbrante para o vale do Lima, no Cerquido Village & Spa encontra a simbiose perfeita para se aventurar por trilhos montanhosos e, simultaneamente, relaxar a ouvir a natureza.

Localizado a 17 km de Ponte de Lima, dispõe de um terraço para banhos de sol e vistas para a montanha, onde existe oportunidade de andar de bicicleta gratuitamente e a área é popular para passeios a cavalo.

A Casa de Lage

Junto à área protegida das Lagoas de Bertiandos, esta casa senhorial minhota dos finais do século XVII está situada dentro de uma extensa propriedade agrícola a curta distância da vila de Ponte de Lima. Possui o ambiente característico de uma casa nobre portuguesa, a que se juntam as comodidades necessárias para um turismo de qualidade.


Uma vila cheia de encantos que conquista milhares de pessoas.

Miguel Estima

©Miguel Estima

O que visitar?

Conhecida pelo seu património cultural e natural, Ponte de Lima é cultura, é natureza, é modernidade, por isso, não faltam motivos para não saber o que visitar quando estiver nesta região.

Se é fã da natureza, percorra os percursos pedestres existentes que privilegiam o contacto com a natureza e a interpretação do meio ambiente. A grandiosa vegetação prolonga-se pelas ecovias construídas para que todos os utilizadores possam desfrutar de um passeio alegre e descontraído ao longo do rio Lima. Um local com paragem obrigatória é a zona das Lagoas de Bertiandos e de São Pedro de Arcos, classificada como paisagem protegida, fazendo parte da Reserva Ecológica Nacional que preserva floresta e fauna autóctone. Conta com parque de campismo, quinta pedagógica com várias atividades e percursos sinalizados.

Para quem é aventureiro, sugerimos experimentar andar de canoa pelo rio Lima, explorar a cavalo os recantos desta vila ou experimentar o golfe no Axis Golfe Ponte de Lima, usufruindo do contacto com a natureza.

Se o que o cativa é a beleza do património cultural e histórico, as opções não faltam. O verdadeiro cartão de visita quando falamos de beleza é a ponte romana e medieval, classificada como monumento nacional. À imagem da própria vila, também esta ponte tem origens bem antigas. A ponte é hoje em dia formada por dois troços distintos, um romano e outro medieval. Pensa-se que a ponte romana terá sido construída no século I d.C., já a medieval, de características góticas, terá sido concluída em 1370.

A Torre da Cadeia Velha, tal como o nome indica, foi um espaço de prisão no século XVI (D. Manuel I), e atualmente acolhe a Loja de Turismo, onde têm lugar algumas exposições temporárias.

A Igreja Matriz de Ponte de Lima foi erguida no século XV e remodelada em XVIII, conservando o seu precioso pórtico oval de estilo românico. No seu interior, sob um teto de madeira, mostra numerosas estátuas de diversas épocas e a capela de Nossa Senhora da Conceição, de estilo manuelino, onde se exibem dois altares barrocos. A abcissa direita está precedida por um arco renascentista de 1589.

Teatro Diogo Bernardes Nuno Sampaio

Teatro Diogo Bernardes ©Nuno Sampaio

O Museu dos Terceiros encontra-se instalado em duas casas religiosas associadas à Ordem Franciscana: o extinto Convento de Santo António dos Capuchos e o edifício da Ordem Terceira de São Francisco. A parte remanescente do convento, fundado em finais do século XV pelo alcaide de Ponte de Lima, D. Leonel de Lima, é formada pela igreja, capela da Senhora da Graça e pela sacristia.

O Museu do Brinquedo Português é inteiramente dedicado ao brinquedo produzido em Portugal. Instalado na Casa do Arnado, junto à ponte romana, é o destino perfeito para pais e filhos passarem uma tarde muito divertida e com alguma nostalgia à mistura. A fascinante coleção permanente do Museu do Brinquedo Português reúne milhares de peças de brinquedos fabricados pela indústria portuguesa, desde os finais do século XIX até 1986.

O Teatro Diogo Bernardes foi construído em 1893 e inaugurado a 1896 com o impulso de um grupo de limianos. Trata-se de um teatro com arquitetura à italiana, restaurado e remodelado a partir de 1999, onde houve o cuidado de manter toda a estrutura inicial. Este teatro é palco de muitos espetáculos que dinamizam a terra limiana.

Uma vila cheia de dinamismo

Ainda dentro deste capítulo, Ponte de Lima é uma vila que atrai milhares de pessoas, seja em que altura do ano for. Conhecida pelas suas tradições peculiares, festas, romarias e atividades, venha descobrir connosco os pontos altos desta terra e marque na agenda os eventos futuros.

Todos os anos, nas vésperas do Corpo de Cristo, cumpre-se a tradição da Vaca das Cordas, onde milhares de pessoas aguardam para ver a vaca guiada por cordas, que segue por algumas ruas do centro histórico e termina no areal junto ao rio Lima.

A Feira do Cavalo, premiada pelo Turismo de Portugal, conquista relevância nacional e internacional, oferecendo aos visitantes a oportunidade de assistir a inúmeras provas, destacando-se as competições oficiais que pontuam para os campeonatos nacionais e ranking internacional. Esta feira foi criada com o objetivo de fortalecer a oferta da região a nível equestre, criando, assim, no Norte do país, uma dinâmica desportiva, cultural e turística.

Um evento em destaque entre maio e outubro, muito apreciado pelo público, é o Festival Internacional de Jardins. Promovendo o gosto e o culto pelo jardim e pela jardinagem, numa ligação profunda com a preservação do património e com a defesa do ambiente, este festival muda de tema todos os anos. No ano de 2013 obteve o prémio de Festival Internacional de Jardins no âmbito dos Garden Tourism Awards, integrado no evento internacional 2013 North American Garden Tourism Conference, em Toronto, no Canadá.

Considerada a maior festa de Ponte de Lima, as Feiras Novas já são uma referência nacional, atraindo milhares de visitantes oriundos dos mais diversos lugares. O povo que com a sua alegria e espontaneidade conquista toda a gente, o ambiente festivo, as rusgas, os cantares ao desafio, o folclore em qualquer canto da vila, os cortejos que nos remontam para o passado histórico transformam as Feiras Novas num momento único.

Durante o ano, existem as características festas das aldeias, destacando a tradicional Páscoa em Fontão, a romaria do Senhor da Saúde, a festa da Senhora da Boa Morte, entre outras romarias que dinamizam as aldeias desta terra limiana.

Onde comer?

Falar de Ponte de Lima é falar de gastronomia de excelência. Do simples e tradicional para o mais sofisticado, esta vila tem opções para todos os gostos e carteiras. A estrela desta região é o arroz de Sarrabulho, um prato rico em sabores e tradição. Outro prato, que divide as opiniões, é a lampreia, que pode ser cozinhada de diversas formas, com destaque para o Arroz de Lampreia e para a Lampreia à Bordalesa. O Bacalhau de Cebolada é também um prato tradicional estimado a nível popular. Para os mais gulosos, que gostam de uma boa dose de doçura, não podemos deixar de dar a sugestão do leite creme queimado.

Para que a comida seja apreciada com sucesso, estas iguarias devem ser acompanhadas pelos aromáticos vinhos desta sub-região que é considerada uma referência internacional na produção de vinhos verdes de excelência.

Deixamos algumas sugestões de restaurantes:

A Carvalheira

A Carvalheira abriu as portas em 1995 e é uma referência da gastronomia de Ponte de Lima. Com uma reputação única graças à qualidade da cozinha e do serviço, este espaço caracteriza-se por ser acolhedor e rústico, onde se podem provar as melhores iguarias da gastronomia regional minhota, cozinhadas em forno a lenha.

Restaurante Açude

Com uma magnífica vista sobre o rio Lima, o Restaurante Açude serve comida de excelência num ambiente romântico e acolhedor. Com uma variedade de entradas que já nos prepara para o que aí vem, seguimos para os pratos principais que são uma delícia, sempre acompanhados de uma garrafeira muito bem-dotada.

Taverna Vaca das Cordas

Este espaço é conhecido pelo seu ambiente acolhedor, pela decoração tradicional e pela comida caseira. O carismático nome dado a este estabelecimento é inspirado numa tradição da vila, a Vaca das Cordas. Muitos são os petiscos que o vai fazer deliciar-se neste restaurante. Polvo à galega, pezinhos de coentrada, favas com chouriço, cogumelos com presunto, chouriço ibérico, alheira de caça e uma grande variedade de queijos. Por encomenda, apresenta ainda vários pratos de excelência, como o arroz de pato, arroz de sarrabulho, arroz de bacalhau no forno, galo caseiro, polvo e lampreia (na sua época).

Restaurante Taberna Afonso

Uma casa tradicional, que privilegia a comida portuguesa, dispõe de umas excelentes instalações totalmente remodeladas ao dispor dos seus clientes para que todos se sintam confortáveis. Destaca-se pelo excelente bacalhau assado na brasa acompanhado com batata cozida com pele e regado com azeite de grande qualidade. Além do bacalhau, ainda têm outras especialidades como o leitão assado, o costeletão e o lombo de boi na brasa.

Cozinha Velha

O restaurante Cozinha Velha é dedicado especialmente à cozinha regional portuguesa e dotado de uma generosa lareira antiga, perfeita para os dias mais frios. De todas as especialidades destaca-se o cabrito e o leitão, assados em forno a lenha, seguidos de favas fumadas e enchidos tradicionais. Para sobremesa, opte pelo tradicional pudim de Abade de Priscos.

Nem só de restaurantes esta vila é feita e, por isso, deixamos também algumas sugestões de tasquinhas para se deliciar com os petiscos. A Taberna do Artur, a Taberna 27, o Escondidinho, Tasca Mariazinha – o Gasparinho e a Tasca das “Fodinhas” com um cardápio peculiar, inventado pela proprietária, que diverte todos os visitantes.

Uma vila cheia de encantos que conquista milhares de pessoas. Se ainda não a conhece, o que está à espera?

in. Revista Rua